E-commerce
Nov 24, 2020

Segurança para compradores, prejuízo para vendedores.

Basicamente, chargeback é o estorno solicitado pelo cliente diretamente com a administradora de cartão de crédito. Refere-se ao ato de contestação de uma compra online, seguida do reembolso do valor ao consumidor.

Essa contestação é feita por algumas razões, como o não reconhecimento da compra pelo titular do cartão ou por desconformidade na transação – compras não autorizadas, duplicidade, erro de processamento. Na primeira situação, a principal causa é a ocorrência de fraude.

Essas fraudes acontecem por diversos motivos, mas, o basilar deles é pela clonagem do cartão de crédito. Contudo, infelizmente, há também muitas pessoas mal intencionadas que se aproveitam dessa facilidade e solicitamo estorno de valores em compras que, na verdade, foram legitimamente realizadas e tiveram, inclusive, o produto entregue.

O chargeback é o pesadelo de qualquer loja que vende online. Isso acontece porque o risco e a responsabilidade da transação recaem sobre o e-commerce, o que gera prejuízos e acaba influenciando no valor final do produto.

De acordo com uma pesquisa da GMattos Gestão Empresarial, o gasto médio das lojas online com a prevenção a fraudes, somado às perdas geradas por chargebacks chega a 1,9% das vendas.

Então, como evitar o chargeback no meu e-commerce?

Há várias formas de reduzir e, muitas vezes, até evitar o chargeback na sua loja online.

Listei os principais mecanismos utilizados para tais fins:

1.    Política própria do E-commerce: 

·        Conferência e segurança de dados pessoais;

·        Soft Descriptor de fácil identificação – descrição que aparece no extrato do cartão do comprador;

·        Disponibilizar pagamento via boleto bancário – nessa modalidade não existe chargeback;

·        Política de reembolso clara - Deixe claras as opções de reembolso para seu cliente

·        Utilizar Softwares de análise de crédito – cruzamento de dados;

·        Solicitação do número do CVV do cartão;

·        Autenticação 3D Secure - é uma nova etapa do fluxo de pagamento, que permite aos bancos verificar se uma compra online é fraudulenta ou não. Nesse caso, a responsabilidade de um chargeback qualificado é transferida para o banco emissor do cartão.

·    Verificação AVS (Auto de Verificação de Segurança) – é uma ferramenta de verificação que combina o endereço fornecido pelo cliente no checkout, com o endereço do banco emissor do titular do cartão.

2.     Contrate uma empresa especializada em análise de riscos:

Terceirizar essa atividade pode sair mais barato. Há empresas no mercado que fornecem software de inteligência em segurança de e-commerces.

3.    Utilize um intermediador de pagamento:

Esses intermediadores assumem o risco do chargeback. Exemplo: Pagseguro, Paypal, Yapay, etc.

 

Agora que você já sabe as principais formas de proteger a sua loja online do temido chargeback, deverá analisar o custo da implementação de cada uma delas para ver qual se encaixa melhor no seu e-commerce.
Inscreva-se na nossa Newsletter

Receba conteúdos semanais exclusivos

Mantenha-se informado de tudo que acontece no mundo das empresas e das startups!
Livre de Spam!

Continue Lendo

Análise do Marco Legal das Startups

Cláusulas: Tag-Along e Drag-Along

Startups de Telemedicina